PUBLICIDADE
Topo

Blog da Redação

Musa do Esporte: Sloane Stephens rejeita comparações, mas é tida com sucessora de Venus e Serena

UOL Esporte

11/09/2012 06h00

"Será Sloane a sucessora de Serena e Venus?". A pergunta foi feita pela CNN, que aponta Sloane Stephens como a nova sensação dos EUA e sucessora das irmãs Williams no topo do tênis mundial. "Se eu pareço com Serena? Sério?", foi a reação da garota de 19 anos, ao ser comparada com a número 1. "Sabe, é uma loucura, mas uma comparação como essa não é nada mau. Se bem que eu não sei porque as pessoas querem falar sobre isso. Elas ainda estão jogando", disse a jovem.

Uma série de atributos faz com que Sloane apareça na linha sucessória das irmãs mais vitoriosas do tênis. O saque é poderoso, assim como as rebatidas de direita. A velocidade é acima da média, assim como a versatilidade nos golpes e o corpo atlético. Ela ainda tem facilidade em dar entrevistas, é carismática e bonita: os olhos grandes e o sorriso fácil chamam a atenção. O lado racial também aparece: ela é negra como as irmãs Williams em um esporte predominantemente praticado por brancos.

Sloane em ação em Wimbledon - Foto: Divulgação

Sloane em ação em Wimbledon – Foto: Divulgação

Comparações à parte, Sloane passou de fã a amiga das Williams. "Eu amo as duas. Claro que elas são sensacionais. São as melhores jogadoras que eu vi", disse a novata, que têm pôsters delas espalhados por seu quarto. Hoje, Venus é uma espécie de exemplo de quem trabalhou duro para chegar ao topo, enquanto Serena se tornou uma amiga ainda mais próxima. "Falamos sobre tudo o que vem à cabeça. Sempre temos grandes conversas e sempre temos algum papo para colocar em dia."

A ligação de Sloane com o esporte é genética. A mãe, a hoje psicóloga Sybil Smith, foi nadadora da Universidade de Boston e se tornou a primeira mulher negra a entrar para a seleção feminina dos EUA. Seu pai, John Stephens, foi jogador de futebol americano e atuou por seis temporadas na NFL. O casal se separou quando Sloane ainda era um bebê, e ela só teve contato com o pai quando completou 13 anos. Em 2009, ele morreu em um acidente de carro, em um grande baque em sua carreira. "Foi muito difícil para mim, mas minha família me ajudou muito. Eu me tornei uma pessoa melhor e aprendi muita coisa, mesmo sendo jovem."

Ao contrário das irmãs Williams, lapidadas desde pequenas para o esporte, Sloane começou despretensiosamente no tênis aos 9 anos, ao ver o padrasto – que também morreu recentemente – bater sua bolinha em um clube na Califórnia. "Ele era apaixonado por tênis. Sloane sempre assistia aos jogos dele antes de nos mudarmos para a Flórida. Eles realmente tinham um vínculo com esse esporte", disse a mãe da futura estrela.

As vitórias nas categorias de base fizeram com que Sloane escolhesse o tênis como profissão. Como júnior, ela somou três títulos de Grand Slam nas duplas, todos em 2010, sempre ao lado da húngara Tímea Babos: Roland Garros, Wimbledon e Aberto dos EUA. Profissional desde 2009, ele conheceu seus melhores resultados neste ano, com as semifinais nos torneios de Estrasburgo e Washigton. Além disso, alcançou a quarta rodada em Roland Garros e foi eliminada na terceira fase em Wimbledon e no Aberto dos EUA. Atual número 38 do mundo, Sloane é a mais jovem entre as 50 mais bem colocadas no ranking feminino.

"Sloane é uma atleta fenomenal e, provavelmente, tem uma das melhores direitas do mundo. Ela tem muitas opções de jogo, então, é melhorar a qualidade de seus golpes e canalizar sua força. Ela ainda tem uma grande personalidade, fala bem, e é divertida. Ela é sensacional para o tênis", disse seu técnico, David Nainkin, um ex-jogador de resultados medianos e ex-treinador de Mardy Fish e Sam Querrey.

"As pessoas procuram uma nova estrela, alguém que substitua as irmãs Williams, e ela certamente pode fazer isso", afirmou o diretor do Torneio de Washington, Jeff Newman. "Ela parece não ter medo de nada, o que é impressionante para a sua idade", completou o tenista James Blake, que chegou a ser quarto do mundo em 2006.

Sloane tem medo, sim, mas de cachorros, gatos e insetos, ou melhor, "de qualquer coisa que se movimente mais rápido" que ela. A tenista gosta de redes sociais, tanto que, ao passar para a quarta rodada em Roland Garros, comemorou de uma maneira bem peculiar: "Estou feliz porque agora terei mais seguidores no Twitter". Apreciadora de comidas indianas e coreanas, a jovem admite que não resiste a uma bela torta de pêssego com sorvete de creme.

O que falta, então, para a carreira da adolescente Sloane decolar? "Tenho trabalhado em vários aspectos, como ir mais para a rede e ser mais agressiva nos pontos. Mas realmente tenho me esforçado na minha concentração. Manter o foco. Isso tem sido o grande desafio para mim", afirmou. Amadurecendo, a bela tenista poderá alçar voos mais altos. Recentemente, a revista "Sports Illustrated" apontou Serena Williams como a melhor tenista da história. Daqui a alguns anos, o nome comentado pode ser da bela Sloane Stephens. Quem sabe?

LEIA MAIS NO BLOG DA REDAÇÃO
Mais gatas. Veja a série completa de Musas do Esporte.

Sobre o blog

A equipe de jornalistas do UOL Esporte seleciona para você os fatos mais curiosos, os vídeos mais divertidos e tudo que viralizou nas redes sociais.

Blog da Redação