PUBLICIDADE
Topo

Blog da Redação

Como definir o "quarentão" Ronaldo Fenômeno em 10 palavras

UOL Esporte

22/09/2016 13h57

Ronaldo recebe prêmio da Federação Italiana em fevereiro de 2016 Foto: Paolo Bruno/Getty Images

Ronaldo recebe prêmio da Federação Italiana em fevereiro de 2016 Foto: Paolo Bruno/Getty Images

Ronaldo Fenômeno se tornou um "quarentão". O jogador que marcou época no futebol mundial comemora seus 40 anos nesta quinta-feira (22 de setembro) com um legado indiscutível dentro e fora de campo. São muitas as vertentes do centroavante, mas o UOL Esporte selecionou 10 palavras que ajudam a resumir a carreira e a vida pessoal de Ronaldo. Confira:

Cruzeiro
A passagem de Ronaldo pelo Cruzeiro durou apenas um ano e meio, mas foi intensa e  revelou o seu talento para o Brasil. O centroavante disputou 46 jogos entre março de 1993 e agosto de 1994 no clube, marcando 44 gols e já deixando claro que seria uma estrela do futebol mundial.

Europa
A carreira de Ronaldo na Europa significou a sua consagração mundial. Desde a sua estreia no PSV em 1994, o atacante manteve-se em equipes da elite com passagens por Barcelona (1996-1997), Inter de Milão (1997-2002), Real Madrid (2002-2007) e Milan (2007-2008). Apesar do sucesso, o jogador se despediu da Europa em 2008 sem o maior título do continente entre clubes: a Liga dos Campeões.

Seleção
Ronaldo não demorou quase nada para estrear pela seleção. Já em 1994, com 17 anos, fez parte do elenco tetracampeão do mundo. Mas a consagração veio oito anos depois, quando liderou ao lado de Rivaldo a campanha vitoriosa na Copa de 2002. Em 1998 e 2006, as sensações foram outras. No vice conquistado na França, era o destaque até a final, marcada pela polêmica em torno de sua convulsão. Já em 2006, brigando contra o peso e sofrendo com os altos e baixos, sucumbiu diante dos franceses nas quartas. Ao todo, marcou 62 gols com a seleção, 15 deles em Copa do Mundo.

Ronaldo na Copa de 2002. Foto: Alex Livesey/Getty Images

Ronaldo na Copa de 2002. Foto: Alex Livesey/Getty Images

Corinthians
A volta de Ronaldo ao futebol brasileiro aconteceu em grande estilo. No Corinthians, o atacante participou das conquistas do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil de 2009. Despediu-se no começo de 2011, após a eliminação na pré-Libertadores para o Tolima, e deixou uma marca de 35 gols. Apesar de flamenguista quando criança, Ronaldo disse que se tornou corintiano roxo após defender a camisa alvinegra.

Lesões
A carreira de Ronaldo poderia ter ainda mais brilho se não fossem as lesões. A mais chocante delas ocorreu em 2000, quando rompeu os ligamentos do joelho direito completamente após apenas sete minutos em campo em um jogo da Inter de Milão. Ele já vinha de um logo tempo parado por conta de uma cirurgia no tendão patelar e  precisou de mais 15 meses para se recuperar totalmente.  Oito anos depois, já no Milan, ele voltou a sofrer uma lesão no joelho e deixou o campo chorando. Foi a sua última partida no futebol europeu.

Ronaldo sofre lesão em 2000 pela Inter de Milão. Foto: Plinio Lepri/AP

Ronaldo sofre lesão em 2000 pela Inter de Milão. Foto: Plinio Lepri/AP

Peso
A briga com a balança fez parte da carreira de Ronaldo assim como seus gols. Principalmente no Corinthians. O ex-médico do clube, Joaquim Grava, chegou a revelar que ele se apresentou em 2009 pesando 115 kg. Pela seleção brasileira, sua trajetória na Copa de 2006 também ficou marcada pela polêmica em relação ao peso. Até o presidente da República da época, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou a questionar a comissão técnica em uma teleconferência sobre o assunto, irritando o jogador.

Cartola
Ronaldo teve participação ativa na organização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil ao ser nomeado por Ricardo Teixeira como integrante do Conselho Administrativo do Comitê Organizador em 2011. No período no cargo, conviveu com alegações de que poderia haver conflito de interesses em sua atuação na entidade por ser dono da 9ine. Já em dezembro de 2014, o "Fenômeno" iniciou sua aventura como sócio do Fort Lauderdale Strikers, equipe da Flórida que disputa a NASL (North American Soccer League, segunda competição nacional em grau de relevância).

Comentarista
A passagem dos grandes eventos pelo Brasil também significou a estreia de Ronaldo como comentarista de jogos pela Globo. Ele começou na função na Copa das Confederações de 2013 e repetiu a dose na Copa do Mundo de 2014, na Copa América de 2015 e na Olimpíada de 2016. Além de mais uma vez ter de responder a um possível conflito de interesses por comentar jogos de atletas com ligação com a 9ine, ele causou polêmica com algumas gafes, como na Copa América de 2015, quando apostou que Suárez seria "o cara" do torneio mesmo suspenso.

Ronaldo ao lado de Galvão Bueno durante transmissão da Globo. Foto: Reprodução

Ronaldo ao lado de Galvão Bueno durante transmissão da Globo. Foto: Reprodução

9ine
Ao encerrar a carreira, Ronaldo permaneceu ligado ao esporte com a criação da empresa de marketing esportivo e entretenimento 9ine, que passou a gerenciar carreiras de esportistas como Neymar e Anderson Silva.

Mulheres
A vida particular de Ronaldo também sempre fez parte dos noticiários. Principalmente os seus casos amorosos. Ronaldo namorou com Suzana Werner e foi casado com Milene Rodriguez, mas nenhum outro relacionamento teve tanto destaque como o casamento-relâmpago com a modelo Daniela Cicarelli. Desde o anúncio do namoro, em junho de 2004, até o rompimento em maio do ano seguinte, o casal frequentou as manchetes das revistas de celebridades. Teve espaço tanto para o casamento luxuoso celebrado no Castelo de Chantilly em fevereiro de 2005 como para as brigas reveladas após o rompimento em maio do mesmo ano.

Ronaldo com Cicarelli em treino da seleção. Foto: Bruno Domingos/Reuters

Ronaldo com Cicarelli em treino da seleção. Foto: Bruno Domingos/Reuters

Sobre o blog

A equipe de jornalistas do UOL Esporte seleciona para você os fatos mais curiosos, os vídeos mais divertidos e tudo que viralizou nas redes sociais.

Blog da Redação