PUBLICIDADE
Topo

Blog da Redação

11 coisas que você não sabia sobre a maior goleada do clássico Real x Barça

UOL Esporte

02/12/2016 06h00

Reprodução/Twitter @tariqmb

Reprodução/Twitter @tariqmb

O dia 13 de junho de 1943 foi um marco na história do confronto entre Real Madrid e Barcelona. Não apenas pela goleada de 11 a 1 aplicada pelos merengues, mas por tudo o que ela significou fora de campo. Foi a maior goleada da história do Real, e a partir deste dia, a rivalidade entre os dois times mudou de patamar. 11 fatores podem explicar por quê.

1. A polêmica no jogo de ida
O confronto era válido pelas semifinais da Copa del Generalíssimo, nome que era dado à Copa do Rei durante o regime do general Francisco Franco. Grande parte da oposição ao regime estava na Catalunha, um dos territórios mais atingidos pela Guerra Civil na década anterior. Foi lá que aconteceu o jogo de ida no estádio Les Corts, que mais tarde daria lugar ao Camp Nou. O Barcelona venceu por 3 a 0, mas foi multado pelo comportamento da torcida, que vaiava e assobiava a cada toque dos jogadores do Real. Na época, era incomum fazer este tipo de coisa. A atitude da torcida catalã foi vista como um desrespeito às instituições, representadas no caso pelo Real Madrid, o time da capital.

2. O artigo de jornal que inflamou Madri
Ex-goleiro do Real, Eduardo Teus foi o responsável pelo relato da vitória do Barcelona publicado no jornal madrileno Ya. Ele descreveu o estádio do Barça como um "caldeirão fervente" e sustentou que o resultado foi injusto, apontando diversos erros de arbitragem e insinuando que a torcida apitava mais que o juiz. "Ah, se o Chamartín [antigo estádio do Real] pudesse ajudar o Real Madrid como o caldeirão de Les Corts ajudou o Barcelona", escreveu Teus. Dias depois, os torcedores merengues deram a resposta.

3. Torcida única

Divulgação/Realmadrid.com

O estádio Chamartin, antiga casa do Real Madrid (Divulgação/Realmadrid.com)

O presidente do Barcelona na época, Enrique Piñeyro, mostrou preocupação com a "terrível propaganda" contra o Barcelona feita nos meios de comunicação de Madri. Ele tentou, em vão, convencer a todos de que o clima hostil em Barcelona não foi uma emboscada planejada para prejudicar o Real Madrid. Mas os merengues estavam com "sangue nos olhos" mesmo assim. Por precaução, os torcedores do Barcelona foram proibidos de viajar para assistir ao jogo no estádio.

4. Compre um ingresso e ganhe um apito
O time do Barcelona ficou hospedado nos arredores de Madri, por motivos de segurança. Na chegada ao estádio, o ônibus dos catalães foi recebido com pedras. Motivados pelas histórias de injustiça no jogo de ida, os torcedores do Real compareceram em peso. Na compra do ingresso, recebiam de brinde um pequeno apito de metal para importunar a posse de bola do time rival. "Em campo, o barulho dos apitos era monumental", descreveu o ex-jogador do Barcelona Josep Valle no livro "Fear and Loathing in La Liga", de Sid Lowe. Jogadores do Barça eram chamados de "porcos separatistas" e ouviam provocações até dos policiais: "vocês vão perder".

5. A suposta ameaça no vestiário
Eis a parte mais polêmica da história e que pode ter decidido a goleada antes mesmo do jogo começar. De acordo com versões desencontradas e não confirmadas sobre o que aconteceu antes daquele clássico, o vestiário do Barcelona teria recebido a visita de representantes do regime de Franco para falar sobre a "generosidade" do governo. Não se sabe exatamente o que foi dito. Fato é que os jogadores do Barcelona sentiram o baque. Afinal, alguns deles tinham lutado ao lado dos rebeldes na Guerra Civil.

6. Intervalo de jogo, 8 a 0

Reprodução/Youtube

Reprodução/Youtube

Imagine um 7 a 1 de um tempo só. Foi o que aconteceu nos primeiros 45 minutos do clássico em Chamartin. Na primeira meia hora, o Real vencia por 2 a 0, até que um jogador do Barça foi expulso. Logo em seguida, foram SEIS gols em apenas 15 minutos. No intervalo, os catalães concordaram em não voltar para o segundo tempo. Foi quando um coronel apareceu no vestiário e avisou que eles tinham um dever a cumprir, como relataram os ex-jogadores do Barça Josep Valle e Francesc Calvet em entrevista ao La Vanguardia em 2000: "Voltem para o campo ou vão todos vocês para a cadeia".

7. Goleiro adiantado
Os relatos da partida chamam atenção para um fato curioso: o goleiro do Barcelona, Luis Miró, evitava ao máximo se aproximar da pequena área, menos ainda da linha do gol. Quanto mais perto ele ficasse da arquibancada, mais estaria na mira das moedas, garrafas e até pedras atiradas pelos torcedores do Real Madrid. Até mesmo na hora de cobrar um lateral os jogadores catalães tinham que enfrentar a resistência da massa enfurecida.

8. Real teve QUATRO gols anulados

Reprodução

Reprodução

A goleada poderia ter sido de 15 a 1 se o juiz Celestino Rodríguez não tivesse anulado quatro gols do Real Madrid que, segundo relatos da época, foram legítimos.

9. Os dois clubes ficaram sem presidente
Ao final da goleada de 11 a 1, o presidente do Barcelona renunciou ao cargo em sinal de protesto. Ele próprio também era um fiel apoiador do governo Franco – só chegou ao cargo porque o presidente anterior foi morto na Guerra Civil. O presidente do Real Madrid acabou fazendo o mesmo por causa da pressão das autoridades políticas e esportivas.

10. Jornalista foi "cassado"
"O Barcelona simplesmente não foi visto durante toda a tarde. Esta foi a melhor coisa que eles poderiam ter feito dadas as circunstâncias", escreveu o jornalista Juan Antonio Samaranch no jornal La Prensa depois da goleada. Foi o suficiente para que ele fosse "convidado" a se retirar do jornalismo. Anos mais tarde, chegaria ao posto de presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI).

11. Depois da goleada, a "maldição"

Reprodução

Reprodução

O Real Madrid se classificou para a final da Copa del Generalíssimo, mas acabou perdendo para o Athletic Bilbao. Dois anos depois, finalmente conquistaria o título, mas depois amargou um jejum de 14 anos na Copa. Além disso, coincidência ou não, depois daquela goleada, o Real ficou mais dez anos na fila do Campeonato Espanhol.

Sobre o blog

A equipe de jornalistas do UOL Esporte seleciona para você os fatos mais curiosos, os vídeos mais divertidos e tudo que viralizou nas redes sociais.

Blog da Redação